FERMENTAÇÃO NATURAL

A metáfora é uma figura de linguagem que incentivo muito a explorar nas minhas aulas de escrita criativa. Através da metáfora, podemos usar termos e objetos com significado diferente do convencional. O autor pode usar como base uma similaridade entre o sentido próprio e o sentido figurado. Na metáfora, esse sentido comparativo fica subentendido e nem sempre é transparente do que exatamente o autor está tratando.

Escrevi essa metáfora com a intenção de registrar um momento da minha vida pessoal:


FERMENTAÇÃO NATURAL

Criei a minha própria receita para desenvolver e alimentar. É um tipo de pão natural que fermenta sem parar. Os ingredientes, você sabe… é só buscar na dispensa da vida: tem cursos de inglês, anos de dança e muitas competências adquiridas em décadas vividas. Começo a criar a massa e trabalhar como um alquímica que elabora o elixir da vida longa e sem preocupações. Mas não era um pão?!

Ah, para para fazer esse pão e se alimentar você precisa antes cultivar. Cultivar os ingredientes não é tarefa simples, você precisa preparar o terreno, selecionar as sementes, regar o jardim, entender e respeitar os ciclos da terra para só no momento certo plantar o seu grão e deixar crescer.

E para dosar os ingredientes, as combinações, você precisa de sabedoria, de experiência. Essa experiência que você só conquista fazendo. Às vezes tem muito de um elemento e outras vezes falta outro. E nesse vai e vem de tentativas alguma hora você acerta porque é importante lembrar que para fazer o pão é muito simples: farinha e água.

E com esses ingredientes selecionados é hora de criar a massa e aí você junta tudo – cada parte entrando no seu tempo certo e vai criando essa “massa” e amassa, amassa, amassa de novo. Espera um pouquinho – aproximadamente 14 horas e amassa de novo, cria as dobras e coloca no canto da casa. Mas esse canto não pode ser nem muito quente, nem muito úmido, nem muito escuro e muito menos com vento. Tem que ser o lugar certo com a luminosidade certa, tem que fermentar naturalmente o tempo certo e só depois você pode começar a preparar o forno para assar.

E esse pãozinho, aquela semente que cultivei, alimentei e cresceu vai tomando a sua bela forma dentro do forno, vai crescendo e se desenvolvendo e se transformando em uma coisa linda. É só um pouco de farinha misturada com água e se transforma em um belo pão fermentado naturalmente e amassado pelas minhas próprias mãos. Que beleza, que criação quase divina.

E é assim que eu me concentro nesses processos da vida: observando as reações dos elementos no tempo e no clima para alimentar e ser alimentada e aprender sempre a descobrir novas receitas, novas possibilidades de criação nessa receita da vida.

 

Compartilhe:

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pinterest
Pinterest
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email
Leia também

Uma resposta

  1. Seu pão não ficaria tão maravilhoso se vc não tivesse acrescentado, além da farinha e água, muito amor nesse processo todo. Parabéns pelo resultado! ❤️

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pesquisa
Mais lidos
Follow Us
Newsletter
Cola Caco

Hub cultural de experiências criativas.

WTF COLA CACO?
Ponto de encontro presencial ou online com informações, programas de desenvolvimento pessoal a partir de processos criativos que inspiram e divertem através das artes.

POR QUE COLA CACO?
Somos um mosaico de experiências criativas. Nós unimos diferentes realidades e estilos artísticos!

COLA (s.f.) – Kólla (grego) – kˈɔ.lɐ
Qualquer substância fortemente adesiva.

CACO (s.m.) –  Etimologia desconhecida
k´a.ku

Fragmento, pedaço.

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência em nossos serviços, personalizar publicidade e recomendar conteúdo de seu interesse. Ao utilizar nossos serviços, você concorda com tal monitoramento. Veja nossa política de privacidade completa.